mãmãmãmãmãmã

(POST escrito originalmente em 15 de abril de 2012).

Pois parece que Enzo resolveu fazer tudo-ao-mesmo-tempo-agora: está andando (com apoio, claro) e “falando”. Há uns dias soltou um mãmãmãmã para pedir para sair do carrinho. E gostou da coisa.

Claro que ele ainda não liga o nome à pessoa. Não está, portanto, chamando a mim exatamente, mas a qualquer adulto que possa tirá-lo da situação que o desagrada.

Mas toda vez que ele chama, eu mesma tento atender, converso com ele e procuro correlacionar o mãmãmãmã com frases do tipo: “Mamãe está indo” ou “Fala, filho, mamãe está aqui”.

A ideia é que, aos poucos, ele vá associando o mãmãmãmã, que é uma evolução natural (com consoante, por exemplo) de sons mais simples que ele já emitia, à palavra mamãe (mais próxima) e a outras palavras simples do cotidiano.

O barato nisso tudo é ver que ele começou o processo de aquisição da fala, não apenas por dominar sons mais complexos, mas por começar ele mesmo a diferenciar seus balbucios e a atribuir sentindo próprio a cada um deles, diminuindo as vezes em que usa o choro como forma de expressão.

Para pedir coisas para brincar, por exemplo, ele não emprega o mãmãmãmã. Nesses casos, Enzo gesticula muito, muito empolgado, solta gritinhos e gargalhadinhas e se joga na direção do objeto. Quando já está brincando, costuma conversar muito comigo e com o brinquedo, sempre com sons como aaaaaaaa, êêêêêê, aaaaêêê, aaaaauuuuu, geralmente seguidos de risadinhas ou gritinhos de comemoração.

Já o mãmãmãmã ele reserva para situações bem específicas. Por exemplo: quando quer descer do sofá, em momentos em que quer ele mesmo pegar um brinquedo que está longe e nós precisamos ajudá-lo a andar até lá, na hora em que a fome aperta, no momento em que quer dormir, quando pede colo, quando pede para trocar de colo, na hora de reclamar de alguma coisa…

Não sei se ajudou-até acho que sim-, mas Enzo recentemente adquiriu habilidades com a língua, como fazer sons colocando-a entre os dentes e soprando (aquele barulhinho de carro). Ele também já encosta -todo orgulhoso, copiando o que fazemos para ele- a língua no céu da boca e depois a abaixa, fazendo “tló”, sabe como? E nos provoca a fazer isso o tempo todo. Ri muito quando ele “puxa” a brincadeira e nós embarcamos na dele -o que é sempre.

Agora a gente começa a ensiná-lo a falar outras palavras. É cedo, claro. Mas como a aquisição da fala é um processo constante e que depende de estímulo, quando percebo que há oportunidade, estimulo. Dri também, claro. Estamos, por exemplo, lendo mais para ele. Líamos antes, mas acontece que agora ele presta mais atenção ao que falamos, repara nos sons, observa os movimentos que fazemos com os lábios e língua e, não raras vezes, tenta tocar nossas línguas para “acompanhar” melhor a movimentação.

Então estamos aproveitando mais todo esse interesse, com resultados interessantes: um bebê tagarela, balbuciante, que fala sozinho e com a gente por longos períodos, que canta para si mesmo e que começa a prestar uma atenção diferente, mais interessada e tendente a copiar, a tudo o que dissemos e a tudo o que ele ouve, especialmente se pode VER o que está OUVINDO.

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em bebezices, Maternidade

3 Respostas para “mãmãmãmãmãmã

  1. Que fofo!!! Até pouco tempo atrás o Enzo me chamava de Mamãe ou Mãe e o pai de papai ou pai mesmo. Agora não sei se é empolgação ou se o menino está confuso (rs) mas me chama de pai/papai e o Maridão de Mãe/Mamãe. Isto só acontece as vezes, mas ele faz. Agora deu para contar histórias, as vezes compreensíveis, as vezes nem um pouco. É uma delícia essa fase!!!! Curta.
    Bj e Bem vinda de volta!

  2. onde vc tava, mulé? numa ilha sem uaifai, é?
    já reparou que em quase todas as línguas a palavra carinhosa para mãe é sempre com mamamamamamá! estas mães são é muito espertas: se apropriaram de uma onomatopeia automática para se auto-denominar… rá! “Já o mãmãmãmã ele reserva para situações bem específicas” <— quando só serve mãe!
    como é bom ler suas histórias…
    saudades grandonas…

  3. Nat

    Adri,

    ahah ahah ahaha. sabe que o filho de uma amigona chama TODOS OS ADULTOS de mamãe! 🙂 é grande? então é mamãe! esses bebês são o máximo, né?

    feliz de estar de volta também, obrigada!
    bjos

    ***************************************************************
    Mari, queridona,

    saudaaaaaaaaaaaaades enooooooormes mesmo!
    até escrevi um post -o de hoje- sobre isso. nosso clube é essencial pra mim, menina!

    sabe que eu nunca tinha pensado nisso, que as mães são umas danadinhas que se autointitularam mamã, aproveitando o descuido dos pequenos?? taí uma boa (divertida pelo menos) tese pras colegas linguistas.

    bjocas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s