Arquivo da tag: chocolate

a rotina

Imagine uma menina. Imagine uma menina de 4 anos. Imagine que essa menina, como a maioria das meninas de 4 anos, adora chocolate, doces da mãe, bolos e tortas da avó, cocada, pé-de-moleque, paçoca e bolo de fubá cremoso. Agora imagine que ela também adora dormir tarde, dormir ATÉ MAIS tarde, almoçar no horário errado, não tomar banho às cinco, como manda a mãe, e convencer o pai a sair para dar voltas na vizinhança às 10 da noite. Imagine que ela trocaria boa parte dos doces por uma boa enganada na rotina.

Imagine que essa menina cresceu e virou jornalista. Imagine que ser jornalista tem lá sua rotina, mas menos rígida que a maioria das outras profissões: imagine que jornalista não bate cartão; não tem muita hora pra chegar e menos ainda pra sair; cada dia fala com gente diferente, sobre assuntos e temas diferentes; pode ficar na redação, mas pode ser escalado pra ir pra rua cobrir um evento que só será conhecido na hora em que o chefe chamar; pode começar a carreira escrevendo sobre um tema e depois mudar pra outro e outro e outro; pode ter de ir trabalhar em outra cidade, em outro país, em outro continente.

Imagine que essa menina foi morar com o namorado. E aí a vida deles poderia ser resumida assim: exceto o trabalho, não tinham hora nem regras pra nada. Jantar durante a semana? Quando dava vontade. Tomar umas depois do trabalho? Sempre que era possível. Sair com os amigos? A toda hora. Fazer refeições nos finais de semana? Raramente. Acordar aos sábados? Depois das 14h. Café-da-manhã? Sempre à tarde. Dormir? Só no dia seguinte, depois de várias cervejas e muito papo de boteco. Chegar atrasados em compromissos de família? Sempre. Geladeira? Nem sabiam o que era isso. Fogão? Menos ainda. Pegar estrada quando dava na telha? Sempre. Programas de última hora? Idem. Decidir e “desdecidir” ao sabor das vontades do momento? Uma constante.

Pois bem, amiga que chegou até aqui: imagine, agora, que essa dupla é, neste momento, responsável por organizar a ROTINA (sim, isso mesmo, a rotina) de um bebê. Responda sinceramente: como você acha que eles dois estão se saindo? a) Muito bem; b) Marromenu; c) Dando pro gasto; d) De forma sofrível.

Acertou quem apostou na letra “d”. Sofrível, sofrível, sofrível.

Juro que nós até tentamos. Funciona assim: decidimos horários, atividades, tarefas, cardápios semanais, lazer, limpeza e manutenção da casa, sono pro Enzo. No papel, fica tudo lindo, perfeito. Mas na vida real, quem disse que conseguimos implementar o planejamento?

Ou acordamos tarde porque Enzo dormiu tarde, ou decidimos deixar “só isso” pra depois por impulsos hedonistas urgentes, ou ficamos com preguiça de lavar o banheiro, ou o sol está tão lindo lá fora, vamos pra rua com Enzo, ou o bebê está com sono agora, vamos deixá-lo dormir fora de hora mesmo, ou ou ou… Não temos habilidade nenhuma para cumprir rotinas. Fato.

Percebo que, em algum nível, isso ajuda a atrapalhar os horários do Enzo. Mas confesso, novamente, que tenho muita dificuldade também em disciplinar esses horários, em dizer “não” pra cria, em ajudá-lo a dormir mais cedo, por exemplo. Só faço isso sem peso na consciência quando ele está mesmo com sono, irritadiço, e não consegue dormir. Aí fico firme, apago luz, guardo brinquedos, não deixo sair do colo, nino até ele se entregar e adormecer. Mas quando ele ainda está curtindo visivelmente a bagunça, deixo que curta, seja 23h, meia-noite ou 1 da manhã.

Claro que há algumas regras e horários por aqui. Não abro mãe de que Enzo coma ao menos três frutas por dia, de preferência diferentes entre si. Em termos de alimentação, seguimos bem à risca as regras, tanto no que diz respeito à quantidade de refeições (entre cinco e seis por dia) quanto em relação à qualidade. Com isso, sou bem rígida.

Porém, em relação ao resto… toda semana decidimos, Dri e eu, começar a regrar mais as coisas por aqui, ainda que seja bem aos poucos. Fato é que nosso passado nos condena e nós mesmos sempre optamos por uma vida de “não-regras”. Pra regrar agora comofaz?

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Maternidade, paternidade

#festa do Enzo: brigadeiro 70% cacau (parte 3)

No post anterior sobre os preparativos para a festa do Enzo, eu contei sobre umas receitinhas alternativas de brigadeiro, especialmente a de brigadeiro 70% cacau, que são mais saudáveis que o tradicional (que leva achocolatado e margarina, abolida aqui de casa, diga-se).

Ontem, finalmente, conseguimos testar uma das receitas. E a conclusão é que é muito fácil e rápida de fazer. Não levou nem 10 minutos pra ficar pronta, e o ponto certo é bem óbvio, o que não gera aquelas dúvidas todas em quem não está acostumado -como nós- com a receita.

Os ingredientes são:

-1 lata de leite condensado

-1 colher das de sopa de cacau em pó (não vale achocolatado nem aqueles chocolates em pó; tem que ser cacau mesmo. O consolo é que já está bem mais fácil de achar; eu comprei num supermercado)

-20 gramas de manteiga sem sal

-50 gramas de chocolate 70% cacau (em geral, as barras desse tipo têm 100 gramas. Pode ser de qualquer marca, mas quanto melhor for a qualidade do chocolate, melhor o sabor do brigadeiro e mais saudável será o doce, pois chocolates melhores costumam ter menos gordura e menos açúcar na composição).

-Confeitos para decorar (pode ser qualquer um, mas sugiro esses aqui, que são os tipo “split”. Se puder ser de marca boa, chocolate meio amargo, tanto melhor).

Daí é só jogar tudo na panela (menos os confeitos, claro), nem precisa derreter o chocolate à parte. Em alguns minutos, cerca de 6 ou 7, o creme já estará bem homogêneo. Mais um pouquinho e começa a desgrudar bem do fundo da panela.Não espere ferver, ok? Daí já pode desligar o fogo, esperar esfriar, enrolar e confeitar.

Na pressa ontem, não enrolamos tudo. Mas já deu pra ter uma ideia de rendimento, o que, pra mim, foi um dos poucos pontos negativos da receita. Vai render, no máximo, mas no máximo mesmo, uns 30 docinhos, o que é relativamente pouco para festa de criança. Claro que não estava esperando fazer uma receita só, mas estou acostumadas com as que rendem entre 45 e 50 unidades. Enfim, conto depois se rendeu mais que isso ou não.

O sabor ficou bem gostoso, descontado nosso grande deslize: esquecemos de comprar manteiga sem sal, usamos a com sal mesmo e, claro, o brigadeiro, bem delicado, acabou ficando meio salgado. Não prejudicou muito, deu pra perceber que vai ficar muito saboroso, mas está meio brochante, confesso.

Já deu pra perceber que sou ótema na cozinha, né?

Ainda falta testar a receita de brigadeiro branco e uma de 70% cacau com creme de leite fresco. Conto e posto as respectivas receitas testadas.

Ah, aqui vai o link de onde tirei a receita de hoje.

9 Comentários

Arquivado em livro de receitas do minimenininho